blog

Conteúdos pra inspirar criatividade, produtividade e arte.

Muito do jeito que a gente pensa e trabalha está escrito aqui. São conteúdos sobre produtividade, arte, design, criatividade, cultura organizacional e também sobre ferramentas de trabalho. Aproveite.

  • Espaço Sete Criativo

Mais borracha do que lápis: Você sabe o que é o Canvas e como usá-lo?


Eu tive a sorte de conhecer a ferramenta do canvas um pouquinho antes de tomar a decisão de empreender. Foi o canvas que me ajudou a clarear e a estruturar as ideias que eu tinha. Ao mesmo tempo em que é uma ferramenta muito simples, me fez pensar em todos os pontos da cadeia do negócio e cada função da empresa.


Sim, não vou negar: como aluna exemplar, eu peguei todos aqueles modelos do curso do MBA, escrevi literalmente o Plano de Negócios, defini o negócio, tracei o modelo conceitual, pontos fortes e críticos de sucesso, competências, escrevi missão, visão, fiz análise ambiental,  de mercado, oportunidades e ameaças, grupos estratégicos, viabilidade de investimentos, etc...


Mas sabe o que me deu de verdade a visão e o mapa do todo?


O Business Model Canvas! Ou o Quadro do Modelo de Negócios. Hoje, essa é uma ferramenta que o Sebrae divulga e que está disponível na internet. Existem inclusive aplicativos onde você vai colando os Post-its virtuais, como o Canvanizer . Mas, como comecei 3 anos atrás, eu tive que devorar o livro escrito pelo Alex Osterwalder, chamado  “Business Model Generation”.


Em resumo, o Business Model Canvas é uma feramenta usada para o planejamento estratégico. Com ela, você esboça um modelo de negócio em um mapa visual com nove blocos:



  • A Proposta de valor é aquilo que você vai oferecer aos usuários e realmente terá impacto para eles;


  • O Segmento de clientes se refere às pessoas que você pretende atingir, que são o foco do seu negócio;


  • Os Canais são as formas como o cliente fará a compra e receberá o seu produto ou serviço;


  • O bloco Relacionamento com clientes se refere às maneiras como você pretende se relacionar com cada tipo de perfil de cliente;


  • A Atividade-chave é a atividade essencial que deverá ser desenvolvida a fim de entregar para o cliente a proposta de valor almejada;


  • Os Recursos principais são tudo aquilo que você vai precisar ter para conseguir realizar a atividade-chave;


  • Da mesma forma, o bloco Parcerias principais refere-se a atividades-chave e recursos principais que virão de fora da sua empresa por algum acordo ou serão terceirizados;


  • As Fontes de receita são as formas pelas quais o seu negócio irá obter lucro, com base na proposta de valor determinada;


  • Já a Estrutura de custos deve relacionar os principais custos necessários para que o negócio proposto possa funcionar.

Com base em todos esses blocos você terá uma conceitualização do seu negócio, e saberá mais profundamente a forma como vai operar e gerar valor no mercado.  Então, se você puder, antes de mais nada escreva o seu projeto no Canvas.


Mas saiba que o quadro não faz nada sozinho. Você tem que entender que o fazer e refazer faz parte do processo todo. Você vai olhar para o quadro um dia e achar que está pronto, depois logo no dia seguinte vai olhar de novo e ver que aquilo que você pensou pode ser diferente. Então vai colocar outros post-its e movê-los de um lugar para o outro infinitas vezes


É o processo. Como já dizia Tom Jobim, ao escrever e compor,  a borracha é mais frequentemente usada que o lápis.


Paula Franceschini

CEO

0 visualização
>

© 2019 por SETE CRIATIVO